Sobre a treta da volta da banda Palavrantiga

TEXTO NA ÍNTEGRA:

Oi gente

Aqui é o Lucas, ex-baterista do Palavrantiga. Nunca me manifestei de forma pública sobre o fim da banda, mas agora eu preciso faze-lo. Fim esse que, em Junho de 2014, não gostaríamos que tivesse acontecido, com excessão do sr. Marcos Almeida.

Não existe futuro naquilo que não permanece. 
Não é e nunca foi verdade que a banda permaneceu. 
Essa decisão foi isolada do Marcos, que queria prosseguir sozinho, já pastor e assalariado. 
Todos nós da banda ficamos à mercê de termos que nos reajustar na vida de última hora, cada um se virando como podia. Por fim superei, e superamos, mas não foi fácil para ninguém.

Agora o Marcos reaparece. Com o contrato de uma produtora de shows em mãos, quer que a banda se reúna novamente nas datas que ele já marcou por contra própria, sem consultar ninguém, contando uma história da carochinha que ele mesmo inventou, para assinar em baixo da sua tão auto-aclamada brasilidade, que nunca fez tanto sentido em sua literalidade como agora.

Em tempos de meias verdades, cada um fala o que quer, e vive como quer. Tudo é relativizado. E essa jogada de carreira do sr. Marcos Almeida nada mais é que política, em seu pior sentido, como a nossa triste e atual história se mostra tão clara, tão repetitiva, e que enoja tanto a gente.

A banda Palavrantiga já não existe mais. O que passa a existir a partir de agora é apenas um retalho de uma coisa que foi muito legal enquanto durou, mas que agora servirá apenas para continuar inflando o ego de seu ex-vocalista.

Vida que segue!

Abs em todos,

Lucas

De acordo com a treta, qual trecho de música da banda retrata melhor o momento atual:

♪ ♫ Hoje tem guerra, amanhã também… ♪ ♫

♪ ♫ Não tenho um tom. Não tenho palavras. Não tenho acorde que me socorra agora ♪ ♫

♪ ♫  Vem, jogando tudo pra fora. A verdade apressa minha hora. Vem, revela a vida que é nova. Abre os meus olhos agora. ♪ ♫

♪ ♫ Nunca é tarde demais, não. Nunca é tarde demais. ♪ ♫

♪ ♫ É que o sagrado se tornou hilário. (…) E o que é que ficou ? Ficou o riso amarelo. ♪ ♫

♪ ♫ Por Teu amor, na Tua paz. Tu sabes todos meus segredos. ♪ ♫

♪ ♫  De tudo quanto eu tenho pra dizer, eu digo muito pouco com as palavras. ♪ ♫

♪ ♫ Tem dois lados em guerra; Meu mundo é este chão, onde você cresceu e eu também. ♪ ♫

Compartilhe a zoeira

Comentários

Comentários

Você pode gostar...