Duas obras da ficção no século XX, mormente, são as responsáveis por aguçar a curiosidade do público em termos de bens de consumo e invenções do futuro. A primeira delas é Os Jetsons, do Estúdio Hanna Barbera – série que funcionava como Alter Ego de Os Flintstones, que se passava na idade da pedra. Os Jetsons tinha como cenário um mundo distante de hoje: o final do século XXI, em sua última década (2090).

Todavia, a outra obra que se encarregou de prever o futuro (talvez até com mais precisão) é um clássico do final da década de 1980. Com direção de Robert Zemeckis (Forrest Gump, O Náufrago) e produção executiva de Steven Spielberg, De Volta para o Futuro: Parte II tinha a maior parte de seu enredo sitiada na década de 2010 – mais precisamente no ano de 2015. Como já falamos no mês passado em 6 previsões que De Volta Para o Futuro acertou (como video-conferências, o Google Glass, Filmes 3d, TVs em 16:9 e tablets), que tal um post com previsões erradas – algumas passaram bem longe, vocês verão – que a franquia trouxe aos cinemas? Será que o Marty McFly de 2015 é parecido com quem lê este texto em 2013?

Preparados? Vamos lá então!

1) Cubs vence a World Series (final do baseball)

Parte do enredo (o conflito principal) do filme gira em torno deste fato – ou melhor, da conclusão que Marty McFly tira deste fato. Ao saber que o Chicago Cubs venceu a final do Baseball, Marty tem a ideia de um milhão de dólares: comprar um almanaque com todos os resultados do esporte para voltar ao passado e apostar. O almanaque, porém, cai nas mãos de Biff Tannen – que usa seus lucros para financiar um cassino em Hill Valley com apostas, roletas e poker. Aliás, se você se interessar em poker, existem diversas opções para jogar sem gastar dinheiro de verdade na internet.

Até 2013 o Cubs, aliás, ainda não venceu a World Series – e pelo andar da carruagem na temporada 2013 do baseball, tampouco vencerá.

de volta 2

2) Carros Voadores

Ah, esta corta o coração; O filme começa com o Doc dizendo a Marty que o lugar (ou o tempo?) para onde vão não precisa de estradas. Infelizmente estamos em 2013 e, muito provavelmente, em 2015 ainda precisaremos delas. Os carros voadores ficarão para os Jetsons em 2090, pelo jeito. 

de volta 3

3) Cabines Telefônicas para todo canto

Em 2015 a AT&T seria responsável por várias cabines telefônicas por Hill Valley. Certo? Bom, acho que não. Ao final da década de 1980 o telefone celular começava a engatinhar – e os roteiristas do filme não perceberam o potencial que ele teria. O mundo hoje é dos celulares – há mais telefones móveis do que fixos no Brasil, por exemplo. 

de volta 4

4) Hover Board

Eis outra fábula de De Volta para o Futuro. Ainda não conseguimos manejar a gravidade – ou o eletromagnetismo, no caso – para criar pranchas que saem voando por aí como skate. Quem sabe nos próximos anos – embora este redator duvide muito (lembrando que elas não funcionam sobre a água, crianças).

de volta 5

Esquecemos de mais alguma previsão furada? Comenta aí!

Comentários

Comentários